Exportar registro bibliográfico

A evolução do mercado de anti-inflámatorios não esteroidais (AINES) e o papel do farmacêutico frente á automedicação (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated author: KO, LYNKON TIN YANG - FCF
  • School: FCF
  • Subjects: INFLAMAÇÃO; AUTOMEDICAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A inflamação é um processo fisiológico natural do ser humano e muito presente no dia-a-dia. O uso de substâncias químicas para melhorar a dor e a inflamação é uma das necessidades mais antigas da humanidade. Atualmente representado por diferentes classes farmacológicas, os Anti-inflamatórios não esteroides (AINES) são os fármacos mais utilizados pela população para o tratamento de dores comuns, e seu uso vem notoriamente crescendo anualmente. Tendo alguns representantes dos AINES classificados atualmente como medicamentos isentos de prescrição (MIP), é natural que boa parte da busca por esses medicamentos pela população sejam de livre espontaneidade, e que a automedicação se faz presente em grande parte dos casos. Dessa forma, o farmacêutico possui um papel fundamental na orientação ao paciente sobre a identificação da real necessidade clínica do uso destes medicamentos, a orientação sob seu uso consciente e correto, e quando necessário, o encaminhamento à um médico. Objetivo: O objetivo deste trabalho é analisar e discutir a evolução do mercado dos AINES no Brasil, propondo uma revisão bibliográfica sobre essa classe de medicamentos e sua diferença perante os demais tipos de anti-inflamatórios. Além disso, busca-se levantar informações relativas à prevalência da automedicação, procurando elucidar o perfil populacional com maior incidência, e os principais motivos que levam à automedicação. Material e Métodos: A metodologia utilizada baseou-se na análise de artigos e livros para a revisão bibliográfica dos Anti-inflamatórios, e também na realização de um estudo retrospectivo através do uso de bancos de dados contendo informações relativa ao mercado de antiinflamatórios não esteroidais (AINES) no Brasil. Para a indicação de prevalência da automedicação, foi realizado umapesquisa de mercado online, que contou com um grupo de 428 pessoas no Brasil. Os sites da sociedade brasileira de reumatologia e ortopedia, bem como os bancos de dados do Pubmed, SciELO, Web os Science, Web of Knowledge e IMS Health, também foram utilizados como fonte de informações. Conclusão: O crescimento do mercado de anti-inflamatórios não esteroidais anualmente no Brasil reflete que este é um mercado ainda muito presente na realidade Brasileira. Considerado como um mercado em que a automedicação se faz de forma bastante expressiva, este é um mercado muito utilizado principalmente por pessoas que buscam o alívio de dores musculares e articulares ou de cabeça. Entre os principais motivos que levam o paciente a se automedicar, está a falta de tempo à uma consulta e a falta de acessibilidade a um médico. Nesse contexto, o farmacêutico como promotor de saúde mais próximo do consumidor, possui papel fundamental no aconselhamento acerca do uso consciente e correto destes medicamentos, e a dispensação adequada
  • Imprenta:

  • Download do texto completo

    Tipo Nome Link
    Versão Publicada2954756.pdfDirect link
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KO, Lynkon Tin Yang; ALBUQUERQUE, Cristina Northfleet de. A evolução do mercado de anti-inflámatorios não esteroidais (AINES) e o papel do farmacêutico frente á automedicação. [S.l: s.n.], 2018.
    • APA

      Ko, L. T. Y., & Albuquerque, C. N. de. (2018). A evolução do mercado de anti-inflámatorios não esteroidais (AINES) e o papel do farmacêutico frente á automedicação. São Paulo.
    • NLM

      Ko LTY, Albuquerque CN de. A evolução do mercado de anti-inflámatorios não esteroidais (AINES) e o papel do farmacêutico frente á automedicação. 2018 ;
    • Vancouver

      Ko LTY, Albuquerque CN de. A evolução do mercado de anti-inflámatorios não esteroidais (AINES) e o papel do farmacêutico frente á automedicação. 2018 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Academic Works of Universidade de São Paulo     2012 - 2020