Exportar registro bibliográfico

Comida de Mulher Parida: Inovação e Sensibilidade Transcultural na Alimentação no Pós-Parto em uma Maternidade de São Paulo – SP (2019)

  • Authors:
  • USP affiliated author: OLIVEIRA, VALÉRIA CLARISSE DE - FSP
  • School: FSP
  • Sigla do Departamento: HNT
  • Subjects: NUTRIÇÃO; ALIMENTAÇÃO; CULTURA; PUERPÉRIO; MIGRANTES; MULHERES
  • Keywords: ACOLHIMENTO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A mulher parida (puérpera) das mais diversas nacionalidades e culturas apresenta necessidades de saúde e nutrição que são atendidas por suas comunidades, mesmo em contextos urbanos. Após a experiência do parto, a mulher vivencia novos momentos com os cuidados do bebê, a amamentação e a construção de seu novo papel de mãe. Nessa fase, as diferentes culturas apresentam particularidades ao lidar com cada um desses aspectos, incluindo a forma como a mulher irá estabelecer sua relação com o ato de se alimentar e com certos tipos de alimentos, não raro com restrições e particularidades valorizadas culturalmente. A sensibilidade cultural a estas necessidades é um dos componentes de uma intervenção para promover serviços de saúde “amigos da mulher”. Objetivos: Identificar elementos para resgatar o aspecto cultural na alimentação de puérperas em uma maternidade de São Paulo – SP, para tornar o serviço mais culturalmente sensível, no âmbito de uma intervenção para melhorar a qualidade da assistência. Métodos: Esse projeto é um recorte da pesquisa “Estratégias para a incorporação de inovações na assistência ao parto e ao recémnascido: intervenção piloto no SUS da Iniciativa Hospital Amigo da Mulher e da Criança”, focando especialmente em dois itens da iniciativa, a liberdade de alimentação para mulheres durante o trabalho de parto e pós-parto e na realização de um cuidado culturalmente competente. Sua execução envolveu as seguintes etapas: observação de uma experiência transcultural de alimentação (oficina culinária) de mulheres migrantes em uma maternidade de São Paulo (SP); entrevista com puérperas da mesma maternidade para investigar conhecimentos e necessidades de alimentação, nutrição e amamentação; colaboração com a nutricionista do local para investigar mudanças no cardápio da instituição; e elaboração de uma cartilha com orientações de Alimentação e Nutriçãopara mulheres no puerpério. Resultados: A etapa inicial, oficina culinária, ocorreu em outubro de 2017 e contou com a participação de puérperas e gestantes estrangeiras acolhidas pelo Alojamento Social da instituição; já as etapas subsequentes de entrevistas com puérperas do Alojamento Conjunto e com a nutricionista do Serviço de Nutrição e Dietética do local, ocorreram em agosto de 2019. Ambas as etapas da pesquisa foram realizadas em uma maternidade do SUS localizada na zona sul do município de São Paulo – SP, caracterizada pelo atendimento de gestantes de baixo risco e pelo acolhimento de mulheres em situação de vulnerabilidade social. Evidenciou-se que cuidados referentes à alimentação no pós-parto, envolvendo o estímulo ou desestímulo ao consumo de determinados alimentos, fazem parte dos conhecimentos e das experiências subjetivas de mulheres das mais diversas culturas, devendo ser valorizados e considerados nas rotinas institucionais. Essa inserção é possível, como visto ao longo desse trabalho, por meio de atividades como a oficina culinária ou mesmo por meio de alterações de cardápio das instituições de saúde, alternativas que mostram empatia a essas demandas das mulheres. A elaboração de materiais educativos culturalmente respeitosos também deve ser baseada na premissa de que cultura e alimentação são tópicos inseparáveis e essas especificidades devem ser, portanto, respeitadas. Conclusões: Experiências transculturais de alimentação e culinária são viáveis e bem avaliadas, embora resultantes do esforço de alguns profissionais isoladamente. A fase do puerpério, cercada de tradições culturais relevantes para a mulher, necessita de um olhar respeitoso e cuidadoso no que concerne às suas necessidades globais, seja em relação à alimentação em si ou à amamentação; tanto para mulheres brasileiras, quanto para as estrangeiras. A experiência descrita neste trabalho mostra que a inclusãodessa sensibilidade na forma de cuidar (inclusive no ambiente hospitalar) é crucial para promover uma assistência ao período perinatal mais positiva e inclusiva.
  • Imprenta:

  • Download do texto completo

    Tipo Nome Link
    Versão PublicadaValéria Clarisse de Oliv...Direct link
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Valéria Clarisse de; DINIZ, Carmen Simone Grilo. Comida de Mulher Parida: Inovação e Sensibilidade Transcultural na Alimentação no Pós-Parto em uma Maternidade de São Paulo – SP. [S.l: s.n.], 2019.
    • APA

      Oliveira, V. C. de, & Diniz, C. S. G. (2019). Comida de Mulher Parida: Inovação e Sensibilidade Transcultural na Alimentação no Pós-Parto em uma Maternidade de São Paulo – SP. São Paulo.
    • NLM

      Oliveira VC de, Diniz CSG. Comida de Mulher Parida: Inovação e Sensibilidade Transcultural na Alimentação no Pós-Parto em uma Maternidade de São Paulo – SP. 2019 ;
    • Vancouver

      Oliveira VC de, Diniz CSG. Comida de Mulher Parida: Inovação e Sensibilidade Transcultural na Alimentação no Pós-Parto em uma Maternidade de São Paulo – SP. 2019 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Academic Works of Universidade de São Paulo     2012 - 2021