Exportar registro bibliográfico

Contextualização sobre a profilaxia pré-exposição (PrEP) à infecção por HIV no âmbito da saúde pública (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated author: MONTES, JONAS NIEVAS - FCF
  • School: FCF
  • Subjects: PREVENÇÃO DE DOENÇAS; HIV; SAÚDE PÚBLICA
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: Atualmente, pelos dados divulgados, é perceptível uma estagnação de novas infecções por Human Immunodeficiency Virus (HIV), mas em parcelas mais jovens da população do gênero masculino. Com a aprovação regulatória da PrEP e sua adoção pelo SUS, a medicação começa a fazer parte da estratégia de prevenção combinada. OBJETIVO: Analisar o cenário de uso da PrEP na saúde pública por meio de publicações que avaliam a efetividade na prevenção. MATERIAIS E MÉTODOS: Revisão bibliográfica do tipo narrativa nas bases de dados Web of Science, US National Library of Medicine – National Institutes of Health (PubMed), Scientific Electronic Library Online (SciELO), Cochrane Database of Systematic Reviews - Cochrane Library, DATASUS, sites governamentais e de entidades internacionais e nacionais, revistas e jornais de grande circulação. DISCUSSÃO: Atualmente, a PrEP está aprovada em mais de 40 países ao redor do mundo. Nos EUA, os números de novas infecções das populações-chave como o HSH continuam aumentando e no país tem uma alta porcentagem de interessados em usar a terapia, mas ela só é disponível no mercado privado. No Reino Unido, cada nação tem uma abordagem diferente para a PrEP; no caso da Inglaterra, por exemplo, em razão da diminuição de novas infecções sem a adoção da PrEP e, também, ao seu alto custo, a profilaxia não será adotada. Na Austrália, o sistema público adotou a PrEP por meio de um sistema público que vende a medicação a preços mais acessíveis. Na China, apesar do alto número de pessoas interessadas e em situação de risco, o custo da medicação não permite sua adoção. No Quênia, um dos países com maior prevalência de HIV, a profilaxia demonstra ser uma ótima solução, mas apresenta barreiras culturais na sociedade. No Brasil, as porcentagens de adesão e a intensão de uso da profilaxia são altas ea tecnologia foi adotada no SUS com diretrizes focadas em populações alvo, ou seja, que demonstram maior risco de HIV.CONCLUSÃO E CONSIDERAÇÕES FINAIS: A profilaxia pré-exposição ao HIV é uma terapia nova para a diminuição de casos de novas infecções sendo uma tecnologia altamente recomendada para países com prevalência alta de HIV, principalmente, em populações de risco. Saliente-se, entretanto, que a sua adoção na saúde pública depende das características de cada país e de suas analises de custo-benefício. Considerando o Brasil, a sua implantação recente deverá ser acompanhada de estudos contínuos que possam avaliar a sua importância no contexto nacional
  • Imprenta:

  • Download do texto completo

    Tipo Nome Link
    Versão Publicada2954727.pdfDirect link
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MONTES, Jonas Nievas; NICOLETTI, Maria Aparecida. Contextualização sobre a profilaxia pré-exposição (PrEP) à infecção por HIV no âmbito da saúde pública. [S.l: s.n.], 2018.
    • APA

      Montes, J. N., & Nicoletti, M. A. (2018). Contextualização sobre a profilaxia pré-exposição (PrEP) à infecção por HIV no âmbito da saúde pública. São Paulo.
    • NLM

      Montes JN, Nicoletti MA. Contextualização sobre a profilaxia pré-exposição (PrEP) à infecção por HIV no âmbito da saúde pública. 2018 ;
    • Vancouver

      Montes JN, Nicoletti MA. Contextualização sobre a profilaxia pré-exposição (PrEP) à infecção por HIV no âmbito da saúde pública. 2018 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Academic Works of Universidade de São Paulo     2012 - 2020